não

não vejo na dor a luz
não ouço no grito a paz
não toco no nada o rosto
não sinto no ar a memória
não sorvo na mão a renúncia
não penso no olho a fuga
não fito ao lado a ausência

(scs, 7311)